Notícias

Cajamar cria professores e gestores “padrinhos” de CA

14/11/2018

Cajamar cria professores e gestores “padrinhos” de CA

Histórias de transformação: Karla Oliveira (Cajamar/SP)

As escolas de Cajamar estão envolvidas com Comunidade de Aprendizagem desde 2014. As Tertúlias Dialógicas Literárias, as Comissões Mistas e os Grupos Interativos fazem parte da rotina de 8 das escolas, e as assembleias para resolução de conflitos estão em parte delas. Até 2015, eram 5 as escolas - uma delas de Educação Infantil e as demais de ensino Fundamental - que implementavam o projeto. Mas havia outras 3 que iriam participar da Sensibilização. Antes disso, porém, tivemos uma ideia: faríamos um encontro entre as equipes das escolas já envolvidas com as propostas e as que estavam chegando.

A expectativa era que elas mostrassem os resultados e os processos pelos quais passavam e, com isso, conseguissem convencer as novas. Os resultados foram melhores do que o previsto! Professores e gestores “padrinhos” contaram que, com o projeto implementado, o interesse dos estudantes pelos estudos aumentou, que a interação melhorou, e que o impacto na aprendizagem era perceptível.

Para acompanhar as falas, mostraram portfólios, materiais teóricos, vídeos de Tertúlias e Grupos Interativos, e o acervo de livros utilizados. Explicaram de que forma adequavam as propostas ao planejamento, quais as dificuldades e formas de encarar os processos previstos, fazendo com que o projeto ficasse real e próximo. Para realizar essa apresentação, as equipes tiveram que se preparar e pensar em argumentos sólidos de serem mostrados às demais. Esse processo foi riquíssimo e desafiador a essas equipes, mas mostrou a importância e a qualidade do trabalho realizado por esses educadores.

As escolas “apadrinhadas” se encantaram. Grande parte dos professores não adotaram aquele discurso de resistência diante da novidade, que muitas vezes diz que o trabalho vai só aumentar, ou que as práticas de CA só dão certo no exterior ou em outro contexto, questionando sua efetividade.

Ao abrir esse diálogo entre as escolas, a intenção foi deixar as práticas de Comunidade de Aprendizagem mais sólidas, envolventes a todos os da rede.

A experiência foi realizada em um encontro apenas. Mas a intenção é expandir ainda mais, procurando englobar as 32 escolas da rede, de Educação Infantil e ensino Fundamental. Está também nos planos possibilitar que as escolas mais experientes continuem acompanhando as demais na implementação, mantendo o diálogo e a proximidade entre elas e o aprendizado de equipes e estudantes.

...

Esta é uma das histórias de transformação vividas por escolas, personagens que fazem parte da rede Comunidade de Aprendizagem. 

Você conhece alguma história assim? Conte pra gente aqui!

Quer conhecer outras histórias? Clique e acesse a publicação completa de 2016!

Deixe seu comentário