Notícias

Escola do Rio de Janeiro abre suas portas para a comunidade e transforma a vida dos estudantes

10/03/2014

Escola do Rio de Janeiro abre suas portas para a comunidade e transforma a vida dos estudantes

Todos os meninos e meninas podem aprender mais e chegar as mesmos e melhores resultados! Foi por este objetivo que a escola Epitácio, localizada no bairro do Andaraí, no Rio de janeiro, escolheu se tornar uma Comunidade de Aprendizagem um projeto que acredita que todos têm o direito de aprender e de aprender muito. Tudo começou, em junho de 2013, quando professores, diretora, coordenadora, alunos, familiares e moradores do bairro realizaram uma série de ações voltadas para a transformação do contexto escolar e para a inclusão de todos no processo de ensino e aprendizagens. Nessas ações, a comunidade escolar e do entorno puderam debater, se expressar, colocar seus desejos e seus sonhos em relação ao que acreditavam ser a melhor escola.

Foram dias intenso, com muita troca, reflexão, e envolvimento de todos. Uma quadra coberta, espaço para aula de dança, novos livros para a sala de leitura, oficinas para pais e mães, mais opções de aulas eletivas e mais tempo para elas, etc. Estes foram alguns dos muitos sonhos que pais, alunos e professores elegeram. Foram então organizadas comissões que tinham pela frente o desafio de tornar esses sonhos realidade. Essas comissões, formadas por alunos, familiares, professores e voluntários, estão, desde então, desempenhando seus papeis de debater e chegar a consensos em relação as ações que precisam ser feitas para transformar a escola e seu contexto.

Hoje, a escola também conta com o envolvimento de toda a comunidade para a implementação das Atuações Educativas de Êxito, práticas educativas que o projeto Comunidade de Aprendizagem propõe como fator fundamental para o êxito acadêmico. Comprovadas cientificamente como sendo aquelas que obtêm os melhores resultados em todos os contextos, a escola Epitácio realiza, em sua rotina, 4 das 7 atuações propostas pelo projeto, são elas: Tertúlia Literária (um encontro em torno da literatura), Grupos Interativos (forma inclusiva de organização da sala de aula), Comissão Mista (forma de participação educativa, decisória e avaliativa da comunidade na escola) e Biblioteca Tutorada (forma de extensão do tempo de aprendizagem)

 

Segundo Luciene Santos, moradora da escola e voluntárias em muitas dessas atuações, as consequências dessa implementação já podem ser notadas: “A escola mudou muito, os alunos estão mais interessados, querem ficar na escola mesmo depois do horário. Hoje eles planejam e decidem o que querem fazer, têm mais autonomia e são mais amigos”.

 

Deixe seu comentário