Notícias

Escolas de Seabra, BA, encantam-se com as Tertúlias Dialógicas Literárias

20/10/2014

Escolas de Seabra, BA, encantam-se com as Tertúlias Dialógicas Literárias

Entrevista a Janara Botelho e Valtir Maria Vieira, da SME de Seabra, BA

A Secretaria Municipal de Educação de Seabra, BA, começou recentemente a implementar Tertúlias Literárias Dialógicas (uma das sete Atuações Educativas de Êxito) nas escolas de sua rede, com o apoio do Instituto Chapada de Educação e Pesquisa (ICEP) e Instituto Natura. O caminho escolhido para implementar esta prática foi a realização de tertúlias entre os diretores, coordenadores e professores das escolas, ação que teve início em julho; para então fazê-las com os alunos, a partir de setembro.

Janara Botelho, diretora pedagógica, e Valtir Maria Vieira, supervisora técnica dos anos iniciais do Ensino Fundamental, ambas da SME de Seabra, são responsáveis por esta implementação, com o apoio das supervisoras Joselma, do Ensino Fundamental II, e Lucélia, de Educação Infantil. Apesar do pouco tempo, elas têm muito a dizer sobre a experiência, que tem encantado aos envolvidos e já começa a transformar as escolas. 

Leia a seguir a entrevista concedida por Janara e Valtir ao Portal Comunidade de Aprendizagem, no último dia 9 de outubro. 

Portal CA - Como conheceram o projeto Comunidade de Aprendizagem?

Valtir - Conhecemos o projeto em uma apresentação feita pela professora Roseli Rodrigues de Mello, organizada pelo ICEP.

Janara - Além de ser diretora pedagógica na SME de Seabra, eu sou também formadora do ICEP. Assim, conheci o projeto durante uma imersão de uma semana com Roseli, que nos apresentou toda a base teórica de Comunidade de Aprendizagem. 

Portal CA - Quais foram suas impressões ao conhecer a proposta?

Janara - Nós gostamos muito, nos apaixonamos pelas Atuações Educativas de Êxito e o processo de transformação das escolas. Imediatamente nos motivamos a implementar a proposta, pois ela dialoga com aquilo que mais precisamos: qualificar a aprendizagem, especialmente os índices de leitura e produção de texto. Outro grande fator de atração foi a possibilidade real de trazer a comunidade para dentro da escola.

Portal CA - Como começou a implementação da proposta no município de Seabra? Qual a situação atual?

Janara – A partir de nosso interesse, o Instituto Natura e o ICEP nos ajudaram a organizar uma estratégia. Decidimos começar com uma Atuação Educativa de Êxito, as Tertúlias Dialógicas Literárias, em escolas de Educação Infantil e Ensino Fundamental. Para isso, contamos com mais duas formadoras externas do ICEP, Celma e Elaine. Mais adiante planejamos implementar também os Grupos Interativos. Entretanto, não será ainda este ano.
Começamos realizando formação sobre tertúlias aos diretores, coordenadores e professores. Nossa meta inicial era fazer em uma escola pelo menos, mas já superamos bastante esta meta! Hoje estão sendo realizadas tertúlias em nove das onze escolas que acompanhamos neste último mês, em pelo menos uma sala. Tudo isso em um período curto, pouco mais de um mês, pois começamos as formações nas escolas no dia dois de setembro deste ano. 

Valtir – Para nós, começar pelas Tertúlias Dialógicas é muito importante porque possibilita ajudar concomitantemente aos professores, diretores e alunos. Cria-se um movimento em espiral. Em um primeiro momento não tínhamos como abraçar todas as Atuações Educativas de Êxito, por isso a opção pelas tertúlias. 

Janara – Durante as pausas avaliativas com diretores, coordenadores e professores, fomos percebendo que todos se apaixonam pelas tertúlias. Todos dizem: “Vamos tentar”. Temos o caso de uma professora, Marta, da Escola Municipal de 1º Grau de Velame, que nos relatou que começou a realizar vivências de tertúlia na turma da 7ª série, considerada uma das turmas mais difíceis, e que foi muito bom. Segundo ela, os estudantes se aproximaram mais da leitura, dialogaram, ouviram, etc., coisas que não aconteciam sempre nesta turma. Para todos está muito claro que quando os alunos melhoram seus índices de leitura, melhoram seus resultados em todo o resto. 

Portal CA - Quais foram os principais desafios enfrentados até agora?

Janara – A disponibilidade de livros é um desafio. Mas está sendo contornada com várias iniciativas. Uma escola se mobilizou e realizou ações para arrecadar fundos, como gincanas, barraquinhas, contando inclusive com o envolvimento dos pais. Outras escolas destinaram recursos financeiros que tinham disponíveis para a compra de livros. O Secretário da Educação, Claudilson Souza, também decidiu apoiar as escolas que desejarem implementar esta atuação educativa de êxito e necessitarem comprar livros. Por outro lado, nós resolvemos fazer um mapeamento dos clássicos já existentes em toda a rede, para juntá-los e fazer rodízio entre as escolas. Ainda estamos em fase de catalogação. Uma vez que comece o rodízio, os diretores e coordenadores das escolas se organizarão entre eles com a logística. 

Valtir – Eu gostaria de enfatizar que nunca vi tanta mobilização das escolas em face a um objetivo. O município se mobilizou como um todo para colocar na sala de aula esse movimento de leitura, que desenvolve os alunos tanto em termos da temática de cada livro, como também da leitura em si. Há mais ou menos 14 anos estamos nessa busca de incorporar o comportamento leitor entre os alunos da rede, e nunca vi uma manifestação de desejo tão grande de parte das escolas. É claro que há resistências, mas a maioria acaba se envolvendo no processo. 

Portal CA - Em termos de resultados, quais são suas observações?

Valtir – Como a implantação é muito recente ainda não temos dados concretos, mas a partir da 2a quinzena de outubro devemos ter dados iniciais, através da avaliação diagnóstica de leitura e produção de textos. De todas formas, para nós essa busca pelos livros é uma demonstração clara de que as escolas querem modificar seu perfil. Temos educadores e alunos em muitas das nossas escolas manifestando o quanto estão seduzidos pela leitura. 

Janara – Temos observado também uma mudança de comportamento dos próprios profissionais das escolas. Por exemplo, durante as pausas avaliativas que a Secretaria de Educação de Seabra realizou neste último mês, notamos que há mais respeito ao turno de fala, a ouvir o outro, quando antes era um pouco diferente. E isso tem sido uma transformação natural, decorrente da experiência das tertúlias, pois nas escolas onde não há tertúlias os hábitos continuam iguais. Percebemos resultados também nas falas dos meninos sobre a necessidade de livros, no fato de que as escolas têm destinado recursos à compra de livros, isso já é um indicador muito positivo da atuação educativa de êxito.

Valtir - Trata-se de algo novo, que vem a modificar não só o comportamento leitor, mas também ético. Verificamos que as tertúlias ajudam a melhorar a convivência e o respeito. 

Portal CA - E agora, quais são os próximos passos?

Janara – Estamos com a agenda bem apertada com formações em tertúlias para os professores, a equipe técnica é constantemente solicitada para fazer a formação inicial e as vivências nas escolas. Seguiremos com as ações com relação aos livros, tanto o rodízio como as compras com recursos da SME. E concentraremos esforços também em ações para mobilizar a comunidade externa a participar das tertúlias, pois ainda não temos voluntários, exceto em uma escola, a Artur Alves. Isto mais como uma ação que deve ser feita pela escola, a mobilização de trazer a comunidade para dentro da escola, com uma proposta em que todos ganham: estudantes lendo e discutindo criticamente assuntos diversos é progresso tanto para a zona rural, quanto para as escolas da sede. Quanto aos Grupos Interativos, a escola Amilar Almeida está em processo inicial, mas ainda precisa conhecimentos mais aprofundados. Nosso foco neste momento está na implementação das tertúlias, que ainda é recente. Como um todo, nosso desafio é colocar os alunos em uma escala ascendente de aprendizagem. 

Valtir – Continuaremos a fortalecer o trabalho, sobretudo nas escolas que ainda não colocaram as tertúlias na sala de aula. Uma grande vantagem é que o município de Seabra está aberto a aprender. Isso pra nós é fundamental. 

Quem quiser entrar em contato com a SME de Seabra, pode fazê-lo através do portal, no perfil da secretaria, aqui (é preciso ser cadastrado e estar logado para enviar mensagem de contato).

Por Maria Julia Bottai

Deixe seu comentário