Logotipo Comunidade de Aprendizagem Logotipo Instituto Natura

Você sabe o que é uma Comunidade de Aprendizagem?

Assista ao vídeo e descubra Já conheço e desejo continuar

Você sabe o que é uma Comunidade de Aprendizagem?

Já conheço e desejo continuar Quero fazer parte
Ir para o conteúdo principal

Notícias

11/06/2014

Eventos 2014 Articulação

Comunidade de Aprendizagem disseminando suas sementes pelo Brasil

Durante a semana de 2 a 6 de junho, a equipe do Instituto Natura realizou o IV Encontro Internacional de Comunidades de Aprendizagens em 4 cidades brasileiras: São Paulo, São Bernardo do Campo, Fortaleza e Rio de Janeiro. 

Comunidade de Aprendizagem disseminando suas sementes pelo Brasil

Os encontros tiveram como objetivo compartilhar com os convidados como as Comunidades de Aprendizagem estão se desenvolvendo a partir das experiências do Brasil e da Espanha, bem como trocar conhecimentos valiosos e ampliar nossa rede de Comunidade de Aprendizagem. Pedro Villares, diretor presidente do instituto Natura; Beatriz Ferraz, gerente de Projetos Educacionais do Instituto Natura; e Carolina Briso, coordenadora do Projeto de Comunidades de Aprendizagem no Instituto Natura, estiveram presentes em todos os encontros para contarem como este projeto nasceu no Instituto Natura e toda sua trajetória até hoje.

Representantes das secretarias de educação e universidades espanholas também participaram destes encontros para apresentar as bases teóricas do projeto, as Atuações Educativas de Êxito e compartilhar como foram formadas e como se desenvolvem as redes de formação nas diversas regiões da Espanha.

Marta Soler, diretora do CREA (Centro de Investigação em Teorias e Práticas de Superação de Desigualdades, da Universidade de Barcelona) , apresentou o projeto de pesquisa Includ-ed, organizado pelo CREA e financiado pelo programa Marco da União europeia, e que embasa a proposta de Comunidade de Aprendizagem. Esta pesquisa teve como principal objetivo identificar atuações de êxitos que geram os melhores resultados independente de seu contexto e mostra que são essas as práticas que devem ser implementadas nas escolas que são Comunidade de Aprendizagem.

Ester Roca Campos, coordenadora da equipe de formadores em Comunidades de Aprendizagem em Valência, contribuiu com a experiência desta região da Espanha, trazendo as bases teóricas que embasam as Atuações Educativas de êxito, práticas validadas pela comunidade cientifica internacional.  Blás Segovia, coordenador e professor da rede de formação da Universidade de Córdoba, compartilhou seus conhecimentos sobre a importância das Universidades como parceiras do projeto. María Luisa Jaussi, coordenadora  da rede de escolas que são Comunidades de Aprendizagem do País Basco, na Espanha, que trouxe a prática realizada principalmente em escolas de Educação Infantil.

Heloisa Mesquita e Giovana Zen, representando respectivamente o Rio de janeiro e as Regiões da Chapada Diamantina na Bahia, trouxeram suas experiências em Comunidade de Aprendizagem nas escolas de suas redes, destacando quais foram os maiores desafios e ganhos desta proposta para a Educação de seus municípios.

Os encontros nas diferentes cidades Brasileiras

Em São Paulo, os convidados puderam participar de discussões temáticas para refletir sobre um caminho possível para que a educação que sonhamos para toda criança e jovem brasileiro esteja acessível para todos os estudante, a partir do aprofundamento da proposta do projeto Comunidade de Aprendizagem. Os convidados puderam compreender um pouco mais sobre o  processo de transformação pelo qual a escola passa e que envolve o fortalecimento da participação da comunidade, a busca por melhores resultados para todos os alunos e a melhora da convivência entre os diferentes atores.

Em São Bernardo do Campo, representantes das escolas de Educação Infantil da rede municipal, além de ouvirem sobre as bases teóricas do projeto, puderam conversar sobre as experiências dessa propostas para crianças pequenas na Espanha. A secretaria de Educação, Cleusa Repulho, abriu o evento contando sobre sua viagem à Espanha e as escolas como Comunidade de Aprendizagem que lá conheceu. Destacou que esse projeto, além de ser baseado em evidências científicas, tem como princípio a adesão dos professores, diretores e coordenadores de escolas.

Em Fortaleza, o encontro teve como principal objetivo disseminar a proposta do projeto para representantes das secretarias de educação do estado do Ceará. Maurício Holanda, secretário Estadual de Educação do Ceará, fez a abertura do evento e destacou como o projeto Comunidade de Aprendizagem traz para dentro da escola o cuidado com os resultados de aprendizagens, bem como valores como a solidariedade: “É um projeto simples, que não precisa de mais recursos, mas que tem uma base teórica muito sólida”. Neste mesmo evento, os convidados puderam participar de oficinas sobre as Atuações Educativas de Êxito, que embasam o projeto.

Na cidade do Rio de janeiro, o evento contou com as representantes das três escolas que já são Comunidades de Aprendizagem no Brasil. Marly Cardoso, diretora da escola Epitácio Pessoa, enfatizou os bons resultados que o projeto já trouxe para sua escola e como a proposta de abrir a escola para a comunidade faz toda a diferença para a melhora do rendimento e da convivência. Débora Beloni, coordenadora da escola Coelho Neto, destacou como a fase dos sonhos é importante para a implementação da proposta Comunidade de Aprendizagem. Jurani Paulino, diretora da escola Bolivar, também esteve presente e contou como as Atuações Educativas de Êxito, Grupos Interativos e Tertúlias Literárias, estão sendo implementadas em sua escola.

No fim de maio cursos a distância! Fique de olho!